Na ciência política há muitos estudos sobre ser líder, ser chefe, comandar, dirigir outras pessoas. Em especial a função de chefia se exerce dentro de uma organização, desde aquelas mais improvisadas às mais formalizadas. Tais organizações são criadas para realizar objetivos, ou enfrentar desafios que necessariamente são maiores e desproporcionais aos recursos e meios que o indivíduo isolado ou com poucos companheiros pode realizar/enfrentar.

Há, pois inevitavelmente uma divisão do trabalho entre o chefe e seus companheiros e uma especialização de funções. Chefiar exige pois talento, conhecimento e experiência. Fiz um levantamento sobre advertências, conselhos e recomendações que julgo relevantes para o exercício da chefia.

  1. O chefe é um dínamo de ideias e atividades. Em volta dele sempre está acontecendo alguma coisa.
  2. Diante de uma situação nova ou inesperada, olha primeiro as oportunidades que ela pode trazer, só depois olha os problemas e dificuldades. Nunca o inverso.
  3. Chefe está focado em resultados, é obcecado em resultados. Processos só interessam quando confirmados pelos resultados. Os resultados são os critérios de avaliação de todos e de tudo.
  4. As oportunidades estão sempre ali espreitando. Basta ter os olhos e a mente aberta e a atenção despertada.
  5. Tempo é tudo. Ganhar tempo, não perder tempo, aproveitar o tempo, é o pensamento e a linguagem do chefe.
  6. Deixar para depois é sempre uma má ideia. Faça logo e fique livre. Várias coisas deixadas para depois levam à paralisia da organização.
  7. O chefe está sempre ocupado, no escritório ou na rua. O chefe é encontrado com dificuldade, não tem muito tempo. Quem quer falar com ele deixa recado. Chefe não atende telefone. A ocupação do chefe é um sinal de que a empresa vai bem, a sua disponibilidade é a maior indicação de que a empresa está mal.
  8. O ótimo é inimigo do bom e para uma empresa ter sucesso em geral basta o razoável de todos.
  9. Atualizar-se. Sempre há uma forma melhor, mais rápida, mais eficiente, mais econômica de fazer as mesmas coisas. Só se descobre com a atualização.
  10. Chefe não aceita “acho que” de ninguém. Se a informação existe deve ser apresentada, se quem a devia apresentar não a tem a mão, que trate de buscá-la.
  11. Chefe encara seu trabalho como um “jogo”. Jogo é lúdico, prazeroso, competitivo e resolutivo (alguém ganha). O pior que pode acontecer não é perder um jogo, e sim ficar fora do jogo. Procure sempre ter fichas para ficar no jogo. Ganhar e perder são inevitáveis. Se você gostar do jogo, vai aprender a jogá-lo bem, e vai ganhar a maior parte das vezes. O prazer então será duplo. Ganhou e ganhou o jogo. Reembaralhadas as cartas o jogo recomeça, porque para sua satisfação, ele não para nunca.
  12. O chefe é chefe porque é generalista. Conduz várias frentes e várias prioridades ao mesmo tempo. Seu tempo por isso tem que ser dividido em frações reduzidas, dentro das quais as decisões importantes são tomadas. Se for preciso corrigir que se faça depois, pior é não agir.
  13. O chefe vê o conjunto e empurra o conjunto da organização para a frente. Tudo tem que avançar para que o crescimento tenha consistência. Só há uma pessoa que é responsável por tudo, tem autoridade sobretudo e pode empurrar tudo.
  14. Chefe tem que possuir criatividade, iniciativa, ousadia e senso crítico. Os problemas, dificuldades e até eventuais impossibilidades incumbem aos empregados identificar, dimensionar e propor alternativas para resolvê-los. Os problemas do conjunto da organização e os dele devem ser resolvidos por ele.
  15. Chefe pensa a empresa hoje, daqui a três meses, um ano, cinco anos, visando identificar problemas e oportunidades porque o que se fará daqui a qualquer daqueles períodos começa hoje.
  16. Chefe sempre leva em conta o pior cenário, como o adversário que tem que derrotar. Se estiver em condições de sobreviver ao pior cenário, tudo o mais é lucro.
  17. O chefe é um angustiado. Está sempre se culpando pelo que já devia ter feito e não fez, e pelo que tem hoje e pode perder amanhã.
  18. Para o chefe nada é mais importante que o sucesso. O sucesso da organização para ele é uma questão pessoal
  19. O chefe trabalha mais que o empregado; chefe não tira férias como o empregado pode fazer, não pensando nos problemas da organização.
  20. Ler e viajar é indispensável. É uma das marcas do chefe. Ler e viajar são recursos valiosos à sua disposição para se atualizar, para fazer contatos, conhecer novas experiências, e poder situar a sua atividade dentro de parâmetros comparativos mais exigentes do que a realidade local.