Quando lançado em 2006 o filme “Os Fantasmas De Goya” ganhou uma crítica negativa na Europa o que parece ser injusto. Além da competente direção de Milos Forman, da excelente atuação de Javier Bardem,

Os Fantasmas De Goya (2006

Natalie Portman, de Stellan Skarsgard no papel de Goya e  Michael Lonsdale (o abade do convento em “O Nome da Rosa“) como Padre Gregório (inquisitor geral) as imagens parecem nos levar a passear na paleta de Goya.

A história se desenvolve a partir do ano de 1792 na Espanha às voltas com a Inquisição, a invasão francesa da Espanha (Napoleão) a vida de Goya neste período com ‘citações’ de algumas de suas obras, além de ilustrar o uso do ‘strappado’ – instrumento de tortura muito usado pela inquisição e por razões políticas.

Maquiavel, cujo nome constava de uma lista de suspeitos de conjura contra pelo retorno dos Medicis ao governo de Florença, foi preso com grilhões amarrados aos pés, e torturado no strappado (pêndulo) com seis trechos de cordas. O relato de sua prisão dá conta de que suportou com coragem e com dignidade a tortura.

Posição dos braços no Strappado

O Strappado ou Pêndulo

Na Câmara de tortura ficavam  os inquisidores e o auxiliar. Os primeiros estavam lá para ouvir a confissão, tão logo a vítima da tortura desistisse de resistir e o auxiliar tinha a função de registrar a confissão.

Tratava-se de uma tortura na qual o prisioneiro, com os pulsos tracionados para as costas e amarrados por uma corda, era suspenso por uma roldana e levantado até o teto. Subitamente a roldana afrouxava a tensão e o corpo se projetava para baixo até ser contido pela brusca parada da roldana. O peso do corpo em queda, subitamente travado, forçava o deslocamento dos ombros e o rompimento das cartilagens. O pêndulo fazia parte da primeira série de torturas, considerada mais leves do que as com água e fogo que se lhe seguiam, caso o acusado não confessasse. O número de erguimentos e quedas variava conforme a resistência da vítima ou sua alegada culpa.

O enredo do filme: Os Fantasmas De Goya

Goya, amigo do pai de Inés (Natalie Portman), usava a jovem como modelo para pintar anjos nas Igrejas. Ao mesmo tempo pintava um quadro da rainha Maria Luisa montada num cavalo e outro do Padre Lorenzo (Bardem). Goya, entretanto era mal visto pela Inquisição. Padre Lorenzo que o admirava defende Goya dizendo que suas obras não são maléficas, elas apenas retratam o mal.

Padre Lorenzo propõe ainda que a Igreja aumente sua perseguição aos infiéis e intensifique sua luta contra práticas anticatólicas. Ele é então designado para comandar essas ações. Numa ocasião imprevista Padre Lorenzo encontra Inés no estúdio de Goya e fica extasiado com sua beleza. Quando Inés é flagrada por um espião da Inquisição recusando um prato de carne de porco numa taverna ela é denunciada e presa, acusada de Judaísmo. Submetida a interrogatório ela é torturada pelo strappado e “confessa” seu crime.

Como era previsível, os arquivos da Inquisição revelaram que um dos ancestrais do pai de Inés era judeu e havia se convertido ao catolicismo em 1624, logo que chegou na Espanha vindo da Holanda.

Tomás Bilbatúa, pai de Inés um rico comerciante, apela a Goya por ajuda junto ao Padre Lorenzo. Lorenzo visita Inés na prisão e diz a ela que vai ajuda-la e, se ela quisesse passaria uma mensagem dela aos pais. Oferece-se a rezar com ela, mas está visivelmente transtornado de desejo por ela que se encontrava nua, depois que passara pela tortura.

Os Fantasmas De Goya (2006)
Os Fantasmas De Goya (2006)

Tomás Bilbatúa oferece então um jantar para o padre Lorenzo ao qual também comparece Goya. Na conversa surge a questão da tortura e Lorenzo a defende, declarando que, se o acusado é verdadeiramente inocente, Deus lhe dará forças para negar qualquer culpa que lhe fosse atribuída. Assim, se o acusado confessa sob tortura deve ser culpado.

Tomás não concorda e argumenta que uma pessoa confessará qualquer culpa sob tortura. Para provar o que diz Tomás redige um documento para ser assinado por Lorenzo, onde este confessa que, na verdade é um macaco. Padre Lorenzo recusa-se a assinar, levanta-se da mesa e dirige-se para a porta, quando é contido à força pelos filhos de Tomás, ameaçando o sacerdote que, se não assinar não poderá sair.

Goya pede que Lorenzo seja libertado sem sucesso e é conduzido para a porta. Tomás, ajudado pelos filhos e servos amarram as mãos de Lorenzo, prendem uma corda no candelabro, fazendo um improvisado Strappado, e o torturam até que ele aceita assinar. Tomás promete destruir o documento depois que Inés seja solta. A seguir dá a Lorenzo uma grande quantidade de moedas de ouro como presente para a Igreja contando que assim vai persuadir o Santo Ofício a libertar sua filha.

Lorenzo apela por Inés ao Inquisidor Geral (Michael Lonsdale) que fica espantado com a quantidade de dinheiro. Dom Gregório entretanto, não se deixa convencer já que Inés confessou.

Lorenzo então visita Inés na prisão mais uma vez e, oferecendo-se a rezar com ela, subjuga-a e faz sexo com ela. Como sua filha não foi libertada, Tomás então divulga o documento assinado por Lorenzo, inclusive apresentando-o ao rei Carlos IV, que muito se diverte com o teor do mesmo. Lorenzo em razão deste escândalo torna-se um embaraço para a Igreja Espanhola que determina sua prisão. Ele foge, e a partir de então começa o que pode se considerar a outra parte do filme, que sugiro seja visto.

 

Milos Forman dirigindo Natalie Portman
Milos Forman dirigindo Natalie Portman

Elenco:

Natalie Portman – Inés Bilbatúa e Alicia

Javier Bardem  – Lorenzo Casamares

Stellan Skarsgård – Francisco Goya

Randy Quaid    –  King Charles IV da Espanha

José Luis Gómez  – Tomás Bilbatúa

Unax Ugalde   –  Ángel Bilbatúa

Michael Lonsdale  – Dom  Gregorio

Julian Wadham   –  Joseph Bonaparte