Widget Image
SIGA-NOS
InícioA Técnica e a Prática (Page 5)

Uma das diretrizes que orienta a produção de peças publicitárias na TV é a capacidade de se destacar em meio à quantidade e diversidade da programação televisiva. Cada comercial compete com outras peças políticas e com muitas outras de natureza

Cacoetes são tiques, manias, hábitos que, como gestos, fonemas ou palavras, se interpõem e se intrometem no falar, de forma repetitiva e sem qualquer relação lógica com o assunto tratado. Provêm de uma resposta não consciente a diferentes estímulos psicológicos. Dentre

O mero fato de ser candidato não assegura a ninguém espaços na cobertura eleitoral da mídia. Pelo menos não sobre aquelas matérias que ele gostaria que fossem publicadas. Os repórteres e jornalistas de maneira geral têm assuntos de sobra e prazos

Willie Horton talvez seja o mais famoso comercial de ataque já produzido nos EUA e o modelo dos "comerciais malditos", aqueles que se situam nos limites extremos da fragilizada ética eleitoral. "Se eu conseguir fazer com que o nome Willie Horton se

O comercial de Barbara Bush As campanhas eleitorais no Brasil, contrariamente às dos EUA, não têm o hábito e relutam muito em envolver a família do candidato na sua publicidade. Talvez ainda predomine, entre nós, a concepção tradicional e latina da

Com o domínio da TV (e agora a internet) como mídias preferenciais da eleição, caiu para segundo ou terceiro plano a propaganda impressa, seja como anúncios nos jornais, seja como produção da campanha. Não precisa ser assim e não deve ser

[caption id="attachment_9186" align="alignright" width="160"] Comercial do candidato Tom Daschle, produzido em 1986, tinha forte apelo à empatia[/caption] Uma das regras básicas do marketing político fala sobre o comercial de TV. Ele possui diretrizes básicas que o tornam um sucesso. Um bom

A pesquisa eleitoral é o principal instrumento que dispomos para produzir informações confiáveis que irão subsidiar as decisões estratégicas da campanha. Estamos cercados de informações por todos os lados, mas, as informações que necessitamos para definir uma estratégia eleitoral: a mensagem da candidatura (“foco”,

Esta é uma das questões mais insistentemente discutidas nas campanhas eleitorais. Numa era de campanha por televisão, a mala direta parece ser um instrumento superado. Além disso, contra ela argumenta-se que é cara, toma muito tempo e produz taxas de

É muito importante que o chefe decida antes se vai participar ou não. Em princípio é sempre recomendável que sim. Mas o que deve ser evitado é a participação intermitente: sentar-se, ficar por algum tempo e sair, para depois voltar