Login

Register

Login

Register

Widget Image
InícioA Técnica e a Prática (Page 5)

O primeiro, foi lançado na mídia em setembro de 1988, durante a campanha para a Presidência dos EUA, e o segundo (“porta giratória”), em outubro do mesmo ano. O efeito conjunto destes dois comerciais foi devastador. Com eles, George Bush

O “discurso”, como é convencionalmente entendido, se refere aquele tipo de oratória, onde uma pessoa, afastada do público por um púlpito ou palanque, fala, aos brados, para uma multidão que o escuta. Este, contudo, é apenas um tipo de discurso.

O administrador complacente é exatamente o oposto do administrador do detalhe. Os dois tipos são os polos extremos de uma administração que fracassa na sua função de supervisão. O administrador complacente abdica de sua responsabilidade de supervisão. Caracteriza-se por uma

Políticos são personagens públicas. Já foi explicado várias vezes em textos anteriormente publicados que o eleitor conhece o candidato pela sua imagem, não pela sua personalidade total. E a imagem do candidato começa com a sua aparência. Políticos conhecidos são

Poucos nascem com o dom de falar bem, assim como poucos são os que nascem com o dom da musicalidade ou do desenho. A capacidade de falar bem, como tantas outras áreas do conhecimento, resulta do aprendizado para a imensa

A postura rigorosamente oposta à da supervisão é a tentativa de administrar os detalhes. Este é o caminho por onde muitos dos novos administradores começam a sua jornada no governo. Agem assim porque estão compreensivelmente inseguros, com muita hesitação para

Na última semana da campanha, o foco se concentra de maneira absoluta na pessoa dos candidatos. O que tinha a se dizer sobre programas já foi dito, o que se tinha a mostrar sobre apoios já foi mostrado, o que

Comerciais de humor são difíceis de fazer, mas, quando bem feitos, têm grande impacto e são muito eficientes na comunicação da mensagem. Isto ocorre porque, em meio à seriedade que envolve a disputa política, a propaganda com humor destaca-se das

O comercial Elvis foi realizado em 1992, por Russ Feingold, candidato ao Senado dos EUA pelo estado de Wisconsin. A peça era insólita e inusitada e tinha como objetivo auto imunizar-se contra ataques futuros. Não se tratava de uma imunização

O formato “lama” para comerciais é usado fartamente nos EUA, desde a década de 80. O comercial que será apresentado é particularmente interessante porque, ao usar o conhecido expediente de “jogar lama”, patrocina uma estratégia própria, ao estilo terceira via.