Widget Image
SIGA-NOS
InícioDicas, Erros e Conselhos (Page 2)

A imagem de candidato vitorioso, deve suceder, num breve espaço de tempo, a imagem de novo titular do cargo disputado. A imagem de candidato vitorioso é ainda uma imagem de "candidato", uma imagem de guerra, de uma porção do eleitorado.

O candidato, que foi um escravo da agenda e da campanha por vários meses, quer distância destas incomodações e reivindica, com justificadas razões, um tempo para si. Dentre os erros que são cometidos neste período, mais por descaso e protelação

A meta foi alcançada e o objetivo de vencer atingido. O político é, então, socialmente reconhecido como vitorioso e como alguém que passa a deter poder. Só há uma coisa certa a respeito deste momento: ele não dura muito. Iniciado

Ao final das eleições terão ocorrido derrotas por pequena, média e grande diferença, mas, de qualquer forma, derrotas. Terão ocorrido derrotas previsíveis, esperadas, como terão ocorrido derrotas inesperadas e surpreendentes. Abre-se, assim, a fase de administrar o momento, seja ele

O candidato eleito tem que falar, mas não pode falar demais, e nem sobre certas questões. O que falar, quanto falar, quando falar, para quem falar, com que objetivo falar, são interrogações que ele deve necessariamente fazer-se, antes de abrir

O legislador de primeiro mandato é um novato, um aprendiz, embora com as condições peculiares de um detentor de mandato popular. Vamos tratar como legislador de primeiro mandato, tanto aquele que pela primeira vez foi eleito, como o de um legislador

Essa é uma das muitas ilusões que formam a atmosfera da política. Como toda ilusão, gera falsas expectativas, conduz a conclusões precipitadas e induz ao erro, sob variadas formas. Geralmente, o inimigo de seu inimigo, que busca aproximar-se de você, é

“O peixe morre pela boca.” (ditado popular) “Falar mal, falar demais, falar o que não deve são as formas mais comuns de se errar na política.” (Baltasar Gracián) “Só se fala para melhorar o silêncio.” (Baltasar Gracián) A frase de Gracián é brilhante

É humano. Todos fazem declarações infelizes em algum momento. A maioria delas não chama muita atenção, é logo esquecida, e não causa maior prejuízo. Algumas, entretanto são letais. Acompanham o candidato como uma sombra pelo resto de sua carreira política. Há

Se não se deve subestimar a inteligência do eleitor, não se deve também cometer o erro oposto, isto é, nunca superestime a quantidade de conhecimento e informação que ele possui. Este território por mapear (a cabeça do eleitor) possui muito pouca informação, e